RAPIDINHAS

quinta-feira, 9 de julho de 2020

Por que durante a quarentena parece que perdemos a noção do tempo?

Se o tempo parece estranho para você agora, você não está sozinho. Você pode pensar porque em situações divertidas parece que o tempo passa rápido demais e em dias monótonos ele demora e parece que você simplesmente não fez nada.

A pandemia de COVID-19 mudou completamente nossas vidas. Pegue algo tão fundamental quanto nossas experiências no espaço: nossa mobilidade tornou-se severamente restrita - reduzida a corridas ou caminhadas alguns quilômetros em torno de nossas casas. Talvez menos obviamente, o bloqueio também afetou nossas experiências de tempo [1]

Claro, o tempo é preciso. Leva 23,9 horas para a Terra fazer uma rotação em seu eixo. Mas não é assim que experimentamos o tempo. Em vez disso, internamente, geralmente é algo que fazemos ou sentimos, e não medimos o tempo objetivamente [2]

Acontece que nosso estado emocional tende a desempenhar um grande papel em nossa percepção do tempo. Atualmente, não sabemos quando podemos ver nossos entes queridos novamente ou quando podemos sair de férias. Mais severamente, muitos de nós não sabem quando voltaremos ao trabalho - ou mesmo se teremos um emprego para o qual voltar. No meio desta crise, é difícil imaginar um futuro que pareça diferente do presente.

"Nossos cérebros tendem a rastrear intervalos de tempo através de eventos distintos, e não temos muitos deles no momento", disse Heather Berlin, apresentadora, professora e neurocientista que estuda a mecânica de como cérebros percebem o tempo. "É muito difícil estimar quanto tempo se passou, se não há nada para demarcá-lo. Se é tudo a mesma coisa e se combina, pode parecer apenas um dia realmente longo" [3].


Desing by Freepik


Embora essa distorção temporal pandêmica não dure para sempre, os efeitos cognitivos de sua interrupção podem muito bem permanecer conosco em um futuro distante. Emoção e motivação estão entrelaçadas. A emoção nos obriga a agir de determinadas maneiras, seja mergulhando em um projeto quando estamos empolgados ou escondendo quando estamos aterrorizados. O primeiro é chamado de "motivação da abordagem", enquanto o segundo é chamado de "motivação para evitar".

Quanto mais motivação sentimos em qualquer direção, mais pronunciada é a mudança em nossa percepção do tempo. Isso acontece por uma razão. Quando estamos motivados a fazer algo, temos um objetivo em mente, seja terminar um quebra-cabeça ou fugir de um carro que acende uma luz vermelha.

A velocidade ou a lentidão do tempo podem nos ajudar a alcançar esses objetivos. Quando o tempo passa mais rapidamente, fica mais fácil perseguir uma meta por um longo período de tempo. Pense em um hobby que você gosta e como o tempo passa mais rapidamente quando você está envolvido com ele.

Por outro lado, quando a motivação para evitar é acionada, o tempo diminui para impedir que permanecemos em situações potencialmente prejudiciais. Se o tempo parece estar se arrastando quando você está com medo ou com nojo, você age mais rapidamente para se livrar do perigo.

Cientificamente falando ter a sensação do tempo diminuir ou desacelerar está relacionado às emoções das pessoas. Pessoas que relataram que estavam mais nervosos ou estressados ​​também indicaram que o tempo passava mais devagar, enquanto aqueles que se sentiam felizes ou contentes tendiam a experimentar o tempo passando mais rapidamente.

A maneira como percebemos o tempo é sempre muito pessoal. Você tem algumas pessoas que se sobrecarregaram mais do que nunca, como trabalhadores essenciais ou pais que não apenas trabalham em casa, mas também são professores de seus filhos. Para eles, o estresse no tempo é alto, sobrecarregado pela quantidade de tarefas diferentes que eles precisam realizar, causando sentimentos de escassez de tempo. Parece que não há horas suficientes para fazer tudo.

Depois, há aqueles que não conseguem trabalhar, presos em casa (geralmente sozinhos ou próximos a ele), sem nada para preencher seu tempo, além de reprises de programas de TV, reprises de filmes, livros ou videogames - e isso é apenas se eles puderem encontrar a vontade de focar neles. Desta vez, a riqueza do tempo pode parecer adorável em comparação, mas esse tédio geralmente gera uma sensação de dias irremediavelmente sem fim e sem começo. Essas também costumam ser as pessoas que monitoram o número de dias passados ​​em quarentena, o que pode parecer tão enlouquecedor quanto ocupado demais para perceber que dia é hoje. Quando as pessoas se concentram demais no tempo prospectivo olhando para o futuro e tentando estimar quanto tempo durará a quarentena, geralmente ficam presas em um ciclo vicioso. 

Quanto mais tempo você gasta pensando no tempo, mais lento ele se move.

Como recuperar o controle da distorção temporal da quarentena

Por fim, na longa lista de itens com que se preocupar durante o coronavírus, a distorção do tempo por si só não está no topo. Mas, disse Berlin, "a distorção do tempo pode ser um marcador importante de nossa saúde mental". Por isso é importante encontrar um equilíbrio mais estável.

A ansiedade pandêmica é particularmente desafiadora, porque a solução para interromper o coronavírus é ficar mais em casa sozinho. Uma coisa que pode ajudar é criar a emoção da motivação de abordagem. A ideia é dar a si mesmo novas metas a serem cumpridas e dividi-las em tarefas diárias realizáveis ​​podem para ajudá-lo a se sentir melhor e também ajudar o tempo a passar mais normalmente. Fazer exercícios, ler livros, fazer cursos ou começar novos hobbies ter uma rotina ajudam a acelerar sua percepção do tempo.

 

Por fim, na medida do possível, tente abraçar o isolamento social como uma oportunidade, e não como uma tarefa [4].


Por: Adriana R. Cordeiro


  • Comentários do Blog
  • Comentários do Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Avaliado item: Por que durante a quarentena parece que perdemos a noção do tempo? Descrição: Classificação: 5 Revisado por: Adriana Cordeiro