RAPIDINHAS

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

De onde veio nosso gosto por gatos?


Quando pensamos em animais de estimação, rapidamente imaginamos nos mais comuns ao ser humano: cão e gato. No caso dos cachorros, a domesticação desses canídeos é facilmente entendida 
do ponto de vista evolutivo sob um viés de ajuda mútua: Alguns ancestrais selvagens - até então lobos - aprenderam que, ao lado das aldeias humanas primitivas, era fácil obter restos de comida. Parte destes indivíduos, mais dóceis, aproximou-se dos humanos, aceitando afago e aproveitando o calor das fogueiras. Em algumas gerações, cães e humanos passaram a caçar em equipe: estava estabelecida uma parceria que perdura até hoje. Com o tempo, os cães deixaram de caçar sozinhos e passaram a ter o homem como fonte exclusiva de alimento. Foi aí que começou uma das mais sólidas amizades do Reino Animal. Os cachorros enxergam, nos humanos, os machos alfas das matilhas.¹ Enquanto que para o ser humano, esses animais traziam proteção e ajudavam na procura e caça de alimento.




Por outro lado, gato e ser humano... se buscarmos uma explicação de por que o ser humano adotou esses amigos peludos de personalidade independente como companhia, a explicação torna-se um pouco mais complexa. Essa união tão inusitada e ao mesmo tempo bem sucedida remonta boa parte da história da humanidade. Estima-se que a associação entre gatos e humanos tenham ocorrido há cerca de 9.500 anos, com os descendentes dos gatos domésticos provenientes dos gatos selvagens do Oriente Médio. Quando as populações deixaram de ser nômades, a vida do ser humano passou a depender substancialmente da agricultura. Foi nesse momento que os gatos vieram a fazer parte do cotidiano das pessoas. Por possuir um forte instinto caçador, esses animais exerciam uma importante função na sociedade: acabar com os ratos e camundongos, que invadiam os silos de cereais e outros lugares onde eram armazenados os alimentos. Essa importante característica desses felinos foi um fator chave para passarem a fazer parte da convivência humana; estava feita a associação com o ser humano. 



Devido ao fato de serem exímios caçadores e auxiliarem no controle de pragas, por muitos séculos, os gatos tiveram uma posição privilegiada na Europa cristã. Porém, no início da Idade Média, a situação mudou: gatos foram acusados de estarem associados a maus espíritos e, por isso, muitas vezes foram queimados juntamente com as pessoas acusadas de bruxaria. Até hoje ainda existe a ideia de que toda bruxa possui um gato preto de estimação, sendo esse animal associado aos mais diversos tipos de sortilégios. É muito comum ouvir histórias de sorte e azar associadas aos animais dessa cor. Com o fim da inquisição, o gato foi novamente aceito nas moradias e nos navios, assumindo novamente a função de caçadores de roedores. Com o passar do tempo os gatos passaram a ser considerados animais finos, ganhando uma boa posição do ponto de vista social. Eram inclusive utilizados como acessórios em eventos sociais pelas damas. Nessa época o gato começou a ser modificado para exposições, começando assim a criação de raças puras, com pedigree².

Hoje temos muitas raças de gatos, cada uma com suas peculiaridades

Hoje, os gatos são um dos mascotes mais comuns do mundo, considerados como um bom animal de companhia. E engana-se quem pensa que os bichanos são totalmente independentes ou frios e sem coração. Acontece que os sua sociabilidade - em relação a outro humano ou entre eles - é determinada inteiramente por eles, em seus próprios termos³.
Esse é o Pazuza, gatinho companheiro e querido dos autores :)


  • Comentários do Blog
  • Comentários do Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Avaliado item: De onde veio nosso gosto por gatos? Descrição: Classificação: 5 Revisado por: Adriana Cordeiro