RAPIDINHAS

sexta-feira, 23 de abril de 2021

Você sabia que algumas vacinas são produzidas em ovos?

A maneira mais comum de se fazer vacinas contra a gripe, por exemplo, é utilizando um processo de fabricação baseado em ovos, que tem sido usado há mais de 70 anos. A fabricação de vacinas à base de ovos é usada para fazer tanto a vacina inativada (morta) (geralmente chamada de "vacina contra a gripe") quanto a vacina viva atenuada (enfraquecida) (geralmente chamada de "vacina da gripe em spray nasal").

A técnica baseia-se na injeção em ovos de galinha fertilizados e incubados por vários dias para permitir que os vírus se reproduzam. O fluido que contém o vírus é colhido dos ovos. Para vacinas de vírus inativados contra a gripe (ou seja, vacinas contra a gripe), os vírus da vacina são então inativados (mortos), e o antígeno do vírus é purificado. O processo de fabricação continua com testes de qualidade, envasamento e distribuição. Para a vacina da gripe em spray nasal  (ou seja, a vacina contra influenza atenuada viva - LAIV), os vírus são ativos, mas enfraquecidos, que passam por um processo de produção diferente. 

Há vários fabricantes diferentes que utilizam esta tecnologia de produção para fazer vacinas contra a gripe. Este método de produção requer um grande número de ovos de galinha para produzir vacinas e pode levar mais tempo do que outros métodos de produção.

Atualmente, existem principalmente três métodos principais para a produção de vacinas. O primeiro é a inoculação animal. Por exemplo, vacinas contra o vírus da raiva, encefalite, arbovírus, etc., são preparadas através da injeção de vírus no tecido cerebral de ratos e coelhos. O segundo método é a inoculação em ovos, em embriões de galinha e embriões de pato, como o vírus da influenza, vírus da parainfluenza, vacinas contra o vírus Sendai, etc. O terceiro método é através de cultura de células. 

O processo de criação de vacinas baseadas em células envolve várias etapas. Primeiro, o vírus é inoculado em células cultivadas de mamíferos  (ao invés de em ovos) e permite que os vírus se reproduzam (ou seja, façam cópias) por alguns dias. Em seguida, o fluido contendo o vírus é coletado das células e o antígeno do vírus é purificado. O processo de fabricação continua com a purificação e os testes. Finalmente, as vacinas são testadas e aprovadas antes da liberação e embarque.

A produção de vacinas baseada em cultura celular não requer ovos de galinha porque os vírus usados para fabricar a vacina são cultivados em células animais. A tecnologia baseada em células também tem o potencial de ser mais rápido no processo de fabricação da vacina.


Existe adicionalmente a tecnologia de produção de vacinas que envolve o uso da tecnologia recombinante. As vacinas recombinantes são criadas de forma sintética. Para fazer uma vacina recombinante, os cientistas primeiro obtêm o material genético viral (DNA ou RNA), ou seja, instruções genéticas, para fazer uma proteínas de superfície da cápsula viral. Essas proteínas são antígenos, ou seja, que pode acionar o sistema imunológico humano para criar anticorpos que visam especificamente o vírus. Assim, esse material genético com instruções para fabricar o antígeno viral é então combinado com um baculovírus, um vírus que infecta invertebrados. Isto resulta em um vírus "recombinante". O papel do baculovírus é ajudar a transportar as instruções do material genético em células hospedeiras cultivadas em laboratório. Assim, as células a produzem rapidamente o antígeno viral. Este antígeno é  então coletado, purificado e depois embalado como vacina recombinante.

Por: Jonathan Pena Castro


Fontes:

Cdc.gov

Creative Biolabs

  • Comentários do Blog
  • Comentários do Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Avaliado item: Você sabia que algumas vacinas são produzidas em ovos? Descrição: Classificação: 5 Revisado por: Como Somos Biologia