RAPIDINHAS

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

#8 - Pessoas influentes na Biologia - Ernst Mayr

Ernst Walter Mayr (1904-2005), mais conhecido como Ernst Mayr, foi um americano nascido na Alemanha, que fez contribuições decisivas e revolucionárias à taxonomia, evolução e genética populacional aviária. Amplamente creditado como o maior biólogo evolucionista do mundo na história, Mayr foi carinhosamente chamado de "Darwin do século 20".

"Eu era um naturalista nato. Aos seis anos de idade, já era um observador de aves apaixonado... sonhava o tempo todo em um dia ser um explorador, ir aos trópicos, ir às selvas, ver coisas novas, descobrir animais estranhos e assim por diante - mas, é claro, era um mundo de sonho."

Anos iniciais

Nascido em Kempten, Alemanha, em 5 de julho de 1904, filho de Otto Mayr e Helen Pusinelli, Ernst Mayr demonstrou um interesse precoce pela ornitologia. Seu pai, um advogado amante da natureza, levava seus filhos em viagens pela natureza para desfrutar da natureza ao ar livre. O pai de Ernst morreu quando ele tinha apenas 12 anos de idade e a família se mudou para Dresden.

Ernst Mayr em sua juventude

Ernst estudou no Staatsgymnasium em Dresden e ingressou na recém-criada Associação de Ornitólogos da Saxônia em 1922. Na associação ele conheceu Rudolf Zimmermann, um destacado ornitólogo que se tornou seu professor de ornitologia.

Após passar nos exames escolares, Mayr frequentou a Universidade de Greifswald em 1923, estudando inicialmente medicina. Mayr estudou aves no interior da universidade e trocou correspondência com Erwin Stresemann, amigo de escola, que já era um dos principais ornitólogos da época. Em 1925, Stresemann incentivou Mayr a mudar seus estudos para a biologia e a desenvolver sua paixão pela ornitologia em uma carreira.

Mayr adquiriu seu doutorado em ornitologia na Universidade de Berlim em 1926; ele tinha apenas 21 anos de idade. Mayr então aceitou um cargo no Museu de Berlim.

Contribuições e Conquistas:

Em 1927, no Congresso Zoológico Internacional, Mayr foi convidado pelo naturalista Walter Rothschild para liderar uma expedição à Nova Guiné e às Ilhas Salomão. Mayr ficou fascinado com as variações entre os animais e plantas causadas pelos efeitos geográficos que lá encontrou. Estas descobertas deram a Mayr um pensamento para sua teoria evolutiva que ele publicaria mais tarde, em 1942. Durante as expedições, Mayr também coletou vários milhares de peles de pássaros, nomeou muitas novas espécies de pássaros e nomeou 38 novas espécies de orquídeas. Seu livro "Birds of the Southwest Pacific" foi publicado mais tarde, em 1945.

Junho de 1928: Ernst Mayr com Sario, um de seus assistentes malaio, na antiga Nova Guiné Holandesa, uma experiência que cumpriu "a maior ambição de sua juventude". Mayr coletou cerca de 7000 peles de pássaros em dois anos e meio.

Mayr retornou de suas viagens em 1930 e ingressou no Museu Americano de História Natural, Nova York, como curador em 1932. Lá, ele escreveu mais de 100 artigos de jornal sobre o tema da taxonomia das aves.

Em 1935 Mayr casou-se com Margarete Simon e eles tiveram duas filhas.

Ele publicou seu famoso livro "Systematics and the Origin of Species" em 1942, que contribuiu fortemente para a genética populacional e para a teoria sintética da evolução. A síntese evolutiva se baseia em uma combinação de mutações genéticas, variação (recombinação), hereditariedade, seleção natural e isolamento para gerar novas espécies.


Ernst Mayr abordou o conceito de espécie dizendo que uma espécie não é apenas um grupo de indivíduos morfologicamente mais próximos, mas um grupo que se reproduz apenas entre si, excluindo todas as outras. A teoria da especiação peripátrica de Mayr é considerada um dos principais modos de especiação em ornitologia.

Mayr argumentou que a noção de seleção natural de Darwin poderia ser usada para explicar toda a evolução - não apenas porque animais e plantas mudam com o tempo, mas porque os genes evoluem em nível molecular. A principal observação de Mayr foi que novas espécies surgem quando os membros de uma espécie são separados no espaço e no tempo. Com o tempo, populações separadas de uma mesma espécie desenvolvem características diferentes - os chamados mecanismos de isolamento - que as desencorajam de cruzar, e se tornam geneticamente tão diferentes que formam espécies separadas. Ao examinar a origem da diversidade orgânica, a síntese evolutiva e a especiação "do ponto de vista de um zoólogo", seu trabalho foi aclamado como a "bíblia da nova sistemática".

Anos finais

Em 1953 Mayr tornou-se professor Alexander Agassiz de Zoologia na Universidade de Harvard, aposentando-se em 1979 como professor emérito. De 1961 a 1970 ele também serviu como diretor do Museu de Zoologia Comparativa da universidade.

Durante sua vida, ele nomeou cerca de 25 novas espécies de aves e 410 subespécies. Ele morreu em Bedford, Massachusetts, em 3 de fevereiro de 2005. Ele tinha 100 anos de idade.


Ernst Mayr, Alexander Agassiz Professor de Zoologia Emérito da Universidade de Harvard. Dr. Mayr publicou mais de 700 artigos científicos e 24 livros. Ele recebeu mais de 25 prêmios científicos importantes, honras e muitos títulos honoríficos, principalmente a Medalha Nacional da Ciência (1970); o Prêmio Balzan de Biologia (1983); o Prêmio Internacional de Biologia (1994, Japão); e o Prêmio Crafoord, Academia Real de Ciências da Suécia (1999). (Rick Friedman/Corbis)


Por: Jonathan Pena Castro


Fontes: 

Famousscientists.org

Achievement.org

  • Comentários do Blog
  • Comentários do Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Avaliado item: #8 - Pessoas influentes na Biologia - Ernst Mayr Descrição: Classificação: 5 Revisado por: Como Somos Biologia