RAPIDINHAS

sexta-feira, 1 de janeiro de 2021

Fatos curiosos que marcaram 2020

Gostaríamos de desejar Boas Festas a todos os nossos leitores. Que 2021 se inicie trazendo muita paz, amor e esperança a todos. Hoje vamos relembrar alguns fatos que marcaram nosso ano de 2020:

1. Incêndios na Austrália:

A Austrália tem uma conhecida temporada de incêndios, a qual piorou no final de 2019 e inicio de 2020, e as coisas pioraram rapidamente antes que as chuvas ajudassem a conter devido as temperaturas recordes e meses de seca severa alimentaram uma série de incêndios florestais. Segundo um estudo os incêndios mataram ou desalojaram cerca de 3 milhões de animais, queimando 115 mil quilômetros quadrados de matas e florestas, matando 30 pessoas e destruindo milhares de casas.




2. Pandemia do coronavírus:

Em 11 de março de 2020 a Organização Mundial da Saúde declarou uma pandemia causada pelo novo coronavírus, que está sendo uma crise de saúde global determinante de nossa época. Desde seu surgimento, no fim do ano de 2019, o vírus espalhou-se para todos os continentes, com exceção da Antártida. E estamos fechando o ano com mais 1.8 milhões de mortes.




3. Uma estrela massiva desapareceu

Por quase 2 décadas, os astrônomos estudavam uma estrela em uma galáxia a 75 milhões de anos-luz de distância. Recentemente, eles olharam as últimas observações e perceberam que não conseguiam mais a encontrar. Quando uma estrela massiva desaparece, os astrônomos esperavam encontrar uma supernova em seu lugar. Mas nesse caso não havia nada. Pode ser o primeiro caso de uma estrela colapsando em um buraco negro sem antes explodir em uma supernova.

4. Bebê nascido de Embrião de 27 anos

Molly Everette Gibson, seu embrião foi congelado em outubro de 1992 e ficou congelado até o início deste ano, em fevereiro, quando Tina e Ben Gibson, do Tennessee, adotaram seu embrião. Tina deu à luz Molly no final de outubro - quase 27 anos depois que seu embrião foi congelado pela primeira vez.



5. Vespas Assassinas nos EUA

O inseto invasor, conhecido como vespa gigante asiática, foi avistado pela primeira vez nos Estados Unidos quando invadiu o estado de Washington. Medindo até cinco centímetros, as vespas podem exterminar colônias inteiras de abelhas em poucas horas.




6. Gafanhotos no América do Sul

Uma nuvem de gafanhotos com mais de 20 km2, avançou em uma velocidade de 150 quilómetros diários. Passou pela américa do Sul apesar de não serem uma ameaça para os humanos, as pragas de gafanhotos podem ser catastróficas para campos de cultivo.


7. Um recife mais alto do que o Empire State Building

Uma equipe de cientistas australianos a bordo do navio de pesquisa Falkor do Schmidt Ocean Institute mapeava o fundo do mar da Grande Barreira de Corais ao norte quando se deparou com um arranha-céu imponente de coral com mais de 500 metros de altura — o primeiro desse tipo descoberto em mais de 120 anos. Conhecido como “recife destacado”, a recém-descoberta torre de coral é uma das oito agora conhecidas na região. Essas estruturas naturais fornecem habitats vitais para criaturas como tartarugas e tubarões, que entram e saem das águas profundas adjacentes à Grande Barreira de Corais. A equipe mapeou o recife destacado, encontrando uma variedade de formas de vida prosperando no ecossistema. Também coletaram amostras de rochas, sedimentos e alguns organismos que serão enviados a laboratórios para análise.

Embora provavelmente surjam mais detalhes sobre esse recife, os taxonomistas que estudam as imagens e os vídeos já identificaram inúmeras novas espécies de peixes. Wendy Schmidt, cofundadora do Schmidt Ocean Institute, declarou em um comunicado à imprensa que a descoberta faz parte de uma revolução na ciência marinha: “utilizando novas tecnologias que funcionam como nossos olhos, ouvidos e mãos nas profundezas do oceano, conseguimos explorar como nunca antes.”



8. Confirmação de existência de água na Lua

O telescópio da NASA montado a bordo do Boeing 747 captou luz infravermelha da Lua numa longitude de onda que só a água pode emitir. Não há nenhum outro material na Lua que possa dar esse mesmo sinal, explicam os autores do trabalho, publicado na revista Nature Astronomy. O telescópio SOFIA foi apontado para a cratera Clavius, um buraco de mais de 200 quilômetros de diâmetro perto do polo sul do satélite. Os responsáveis pela descoberta, liderados por Casey Honniball, planetologista da Universidade do Havaí (Estados Unidos) e pesquisadora da NASA, afirmam que a abundância de água nessa cratera é de cerca de 200 microgramas por cada grama de terra lunar.

Segundo o estudo, a água da cratera Clavius não está em grandes superfícies de gelo puro, e sim em pequenos depósitos acumulados entre a terra ou presos em cristais produzidos por pequenos impactos de asteroides. “A sonda Chandrayaan-1 já detectou gelo nos polos lunares, em zonas não iluminadas pelo Sol. Agora, apresentamos provas conclusivas de que há moléculas de água também nas zonas iluminadas”, afirma Casey Honniball, coautora do estudo. Sua equipe acredita que as moléculas de água tenham se formado a partir do impacto de pequenos meteoritos e da reação com o OH. As moléculas estariam presas nesses cristais e seria preciso fundi-los para tirá-las de lá, diz a cientista.
A NASA anunciou que pretende enviar astronautas ao polo sul da Lua a partir de 2024. Também estuda projetos de futuras bases lunares, com grandes painéis solares que permitam iluminar o interior das crateras em sombra e extrair a água acumulada.


Evidência da ausência de mitocôndrias no Henneguya salminicola (Foto: Reprodução/www.pnas.org/)

9. Animal que não respira oxigênio

Um parasita microscópico que habita o tecido muscular do salmão mudou todo o entendimento da ciência sobre a biologia animal. O Henneguya salminicola é um organismo cnidário que não consome oxigênio para produzir energia. A descoberta foi feita por pesquisadores da Universidade de Tel Aviv, em Israel, e anunciada também em fevereiro, na PNAS. Para eles, trata-se de um indício de que a evolução pode seguir um caminho oposto ao que se acreditava: dar origem a formas mais simples de vida, em vez de gerar organismos mais complexos. Agora, os estudos tentam identificar como o parasita gera energia de forma anaeróbia.

10. Lançamento da Vacina contra a COVID-19

Existem até agora dezembro de 2020 três vacinas contra COVID-19 para as quais certas autoridades reguladoras nacionais autorizaram o uso. Margaret Keenan, uma britânica de 90 anos, entrou para a história como sendo a primeira pessoa no mundo a receber a vacina da Pfizer contra a Covid-19 fora de um ensaio clínico.





Para um ano difícil, terminamos com uma boa notícia. Grande abraço a todos e um feliz 2021 a todos.

Fontes: [1], [2], [3], [4


Adriana Cordeiro
Jonathan Pena Castro

  • Comentários do Blog
  • Comentários do Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Avaliado item: Fatos curiosos que marcaram 2020 Descrição: Classificação: 5 Revisado por: Adriana Cordeiro